Além do prejuízo comercial, que reflete na arrecadação de impostos. Outro problema provocado pela pandemia do Coronavírus é o andamento das obras, que consequentemente param ou andar em ritmo mais lento. Sendo que em ano eleitoral, os repasses ficam ainda mais limitados. Para saber a respeito desse cenário conversamos com o diretor de Obras, Gilmar Feltrin. 

O diretor citou que a obra mais prejudicada é a do Jardim Eldorado, na qual abrange as galerias, que por sinal teve inúmeras paralisações tanto por questões climáticas como principalmente atraso em repasses, conforme publicamos em diversas edições. Ele disse que está havendo alguns recapeamentos asfálticos efetuados pela empresa DGB, no qual Jardim Parati, e Jardim do Bosque. Avenida Lourenço Santin, e praças públicas foram comentadas. Leia mais na Folha da Cidade

 

O município até antes do fechamento dessa edição, apresentava 41 casos suspeitos do Coronavírus, sendo cinco de outros municípios, quatro confirmados, no qual aguardando contraprova, e nenhum confirmado pelo Instituto Adolfo Lutz. Além de dois descartados, no qual um de outro município.

Dois pacientes estão internados na Unimed, sendo considerados casos graves. E dois casos leves, onde um paciente está internado na enfermaria no Hospital Municipal Julia Pinto Caldeira, e outro na Unimed. Todos os 41 suspeitos, conforme orientação médica, estão isolados em suas residências, com o objetivo de evitar uma possível proliferação do vírus.

As coletas de materiais para pesquisa estão sendo encaminhadas para o Instituto Adolfo Lutz, laboratório autorizado para realização do exame. Mais informações pelo 17-3342-8632. 

A Secretaria Municipal de Saúde informou que o Hospital Municipal, já conta com um Pronto Atendimento de Sintomas Gripais, no qual o Pronto Socorro Gripal, que conta com dois consultórios, um pediátrico e um adulto e quatro leitos de isolamento. 

No local a população terá acesso a médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e serviço de higiene e limpeza 24 horas. O novo espaço já está em funcionamento e fica instalado no setor de Ortopedia do Hospital Municipal. E tem como objetivo separar o fluxo de sintomas gripais dos demais fluxos da UPA, evitando assim possíveis contaminações da população saudável.

A secretária de Saúde, Sônia Junqueira afirmou que os pacientes contarão com entradas diferentes e sinalizadas, sendo necessário prevenir o contato com outras doenças. “Nossa saúde está extremamente empenhada em ajudar a população no que for necessário, por isso, não deixamos de lado os atendimentos de doenças de menor gravidade, mas que merecem grande atenção”, comentou a secretária.

A Secretaria ressaltou que desde sábado (28), todas as aplicações de antibióticos serão realizadas aos sábados, domingos e feriados, na Estratégia de Saúde da Família Moacyr Caldeira, localizada na região central da cidade, das 8h às 12h, na qual fica atrás da escola Conrado Caldeira.

A ação tem como objetivo reduzir a aglomeração de pessoas na UPA (Unidade de Pronto Atendimento), diminuindo a transmissão do Coronavírus. Os pacientes acamados poderão utilizar os Serviços de Ambulância para se dirigir à ESF, e receberão atendimento prioritário. Já pacientes que estejam em isolamento domiciliar, os enfermeiros responsáveis por cada setor ficarão responsáveis por essas aplicações como ocorre rotineiramente.

 

Repercussão - Na manhã de sábado (28), o perfil Romera News postou em rede social uma mensagem recebida na qual questiona se a Imprensa estava ciente de que oito profissionais de um mesmo plantão da UPA no Hospital Municipal Julio Pinto Caldeira apresentaram pneumonia ao mesmo tempo.

E que uma técnica de enfermagem precisou ser entubada, e que se encontrava em um leito de UTI no Hospital Samaritano. Sendo o fato mantido sobre sigilo. E que  profissionais ficaram calados por medo de perder o emprego e passar fome, segundo a postagem. E que o local tinha que ser interditado, e ter chamado a CCIH (Comissão de Controle de Infecção Hospitalar) e limpado pela possibilidade de o local estar com microrganismos resistentes livres no ambiente. O que gerou a desconfiança de algo grave e errado estar acontecendo. E que o fator de ser terceirizado facilitaria enconbrir os erros, conforme consta na postagem que a nossa reportagem teve acesso no início da tarde da mesma data. 

Ainda consta na postagem que funcionários que mandaram áudio para colegas contando a situação foram afastados e advertidos. Sendo que o Ministério Público iria ser procurado e o Coren (Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo) seriam acionados. E que era necessário aguardar para ver o desenrolar da situação.  E por fim, na referida postagem ainda consta que uma técnica de enfermagem precisou ficar no isolamento com pneumonia e derrame pleural, tendo sido colhido exames para H1N1.

O fato repercutiu em rede social, procuramos a Secretaria de Saúde, e a mesma afirmou a nossa reportagem que as informações não procede. A Folha da Cidade esclarece que não tem como finalidade em qualquer situação, bajular ou ofender quem quer que seja. Independentemente se os fatos narrados procedem ou não. Cabe aos leitores tirarem as conclusões. 

Bebedouro recebeu a doação de 12 mil litros de álcool etílico 70%, que será destinado a Secretaria Municipal de Saúde, Forças de Segurança, entidades responsáveis no atendimento aos idosos, e demais e órgãos públicos em prevenção ao Coronavírus. A doação foi realizada na quinta-feira (2), pelo empresário José Francisco dos Santos através da empresa JF Citrus e CMAA. 

O evento foi realizado nas dependências da empresa JF Citrus. O prefeito Fernando Galvão fez as suas considerações. “Esse produto é muito importante para a higienização e com essa quantidade estaremos abastecidos por um longo período. Especialmente nossa saúde que receberá cinco mil litros. Parceria que demonstra o respeito e consideração por todos, pois, há a possibilidade caso necessário de outra doação desse produto”, afirmou o prefeito. Leia mais na Folha da Cidade

Ao considerar o momento de pandemia do Coronavírus, o Município efetuou Decreto de Situação de Emergência na terça-feira (31), que o permite requisitar bens públicos e até particulares. Ocasião em que a unidade em que funcionava o Supermercado Laranjão pela Avenida Pedro Paschoal foi desocupado durante a semana, no qual equipamentos foram retirados e guardados pela Prefeitura em local próprio.

O diretor de Planejamento da Prefeitura, Rogério Valverde afirmou que o Município está amparado por pareceres jurídicos, decreto municipal e estadual, além de relatório efetuado pela Vigilância Sanitária. Ele enfatizou que se for necessário poderá ser feito um Hospital de Campanha ou local para distribuição de cesta básica no espaço que atuava o Laranjão ao lado do Terminal Rodoviário.

Outra destinação para a funcionalidade do local é a liberação do acesso para o grupo investidor assumir. Rogério informou que o interesse permanece, no qual a empresa vai gerar mais de 100 empregos diretos. Tudo depende do desfecho da pandemia, e da situação a nível judicial, no qual o caso tramita em São José do Rio Preto. Leia mais na Folha da Cidade

Olivia de Souza Pereira Gomes, advogada, especialista em Direito do Trabalho e Processo, falou da MP, Medida Provisória 927/20 publicada no Diário Oficial da União em 22 de março.

Ela contou que a MP trata de diversas ferramentas destinadas à flexibilização das normas trabalhistas. A advogada recordou que inicialmente houve a polêmica acerca do artigo 18 da referida MP, que permitia a suspensão de contratos de trabalho por até quatro meses, sem pagamento de salários. E explicou que uma Medida Provisória tem força de lei pelo período de 60 dias.

Ainda explanou o Auxílio Emergencial, sendo que até o fechamento dessa matéria foi sancionado o auxílio de R$ 600,00, porém, ainda não havia sido publicado no Diário Oficial. No qual apontou os critérios para usufruir do benefício. Leia mais na Folha da Cidade

Disponível gratuitamente no Spotify, Deezer, Tidal, Youtube e Facebook, o rapper bebedourense Weverton Teixeira, vulgo “Circunspecto”, lançou o seu EP “Meus Labirintos”, e falou do conteúdo para a Folha da Cidade.

Ele agradeceu a nossa reportagem, na qual agradecemos ao mesmo e a Ghetto Beat’z, por meio do produtor Andrew Wesley. A entrevista estará disponível em vídeo no perfil Gueto em Grande Estilo, grupo no qual o rapper faz parte no Facebook. Do 1? verso ao toque final da produção, o processo levou aproximadamente um ano.

O rapper afirmou que a finalidade do seu trabalho é levar amor, progresso e autoestima no sentido de estimular o ser humano a se esquivar de coisas ruins na vida. Além da musicalidade atual, ressaltou que a linha de raciocínio foi mantida na essência das letras. Leia mais na Folha da Cidade

 

Os bombeiros compareceram na quarta-feira (31) na Avenida Pedro Hortal, Novo Lar. Onde atendeu uma ocorrência de choque elétrico, no qual um jovem de 15 anos pisou em fio energizado, e recebeu a descarga elétrica. O que ocasionou uma para cardiorrespiratória.

A Polícia Militar chegou no local e fez os procedimentos de reanimação, e com a chegada da Unidade de Resgate houve continuidade nos procedimentos até o Pronto Socorro Municipal, onde ficou aos cuidados da equipe médica. Apesar do esforço de todos os envolvidos, o médico posteriormente declarou o óbito. 

A vítima foi Murilo Lima Costa. O fato causou grande comoção pelas redes sociais. A Folha da Cidade registra os seus sentimentos aos familiares e amigos. Segundo informações extra oficiais, ele estava limpando a piscina da casa dele, no qual o motor do aparelho entrou em contato com a água, o que provocou a descarga elétrica. Sendo que tinha sobrevivido a duas paradas cardíacas, mas não resistiu na terceira. Mais ocorrências policiais leia na Folha da Cidade.

Entre casos suspeitos e confirmados de Coronavírus, a preocupação é constante no município. Para saber como o sistema público e privado está lhe dando com essa causa. A Folha da Cidade procurou a Secretaria de Saúde e a Unimed, que deram os seus pareceres.

Para o sistema público, no qual abrange o Hospital Julia Pinto Caldeira, e privado com dois hospitais, a nossa reportagem perguntou sobre casos confirmados e suspeitos, se tem leitos e respiradores assim como a quantidade de ambos, sala para comportar pacientes, alguma adaptação, encaminhamento para outra cidade, e se ambos os sistemas têm alguma parceria.

Até antes do fechamento dessa edição, o município apresentou 25 casos suspeitos, sendo dois importados de outros municípios, e nenhum caso confirmado ainda pelo Instituto Adolfo Lutz, laboratório autorizado para realização do exame. “Ainda está havendo um crescimento de casos. Declaro que existem dois casos confirmados, mas por laboratórios privados. Estão aguardando confirmação do Instituto Adolfo Lutz. Ainda não podemos declarar oficialmente os números porque depende de confirmação e contraprova do Instituto Adolfo Lutz. Pode ter caso positivo no laboratório particular e depois vir negativo nas contraprova do Instituto Adolfo Lutz. Como pode acontecer ao contrário, negativo no laboratório particular, e positivo no Instituto Adolfo Lutz. Os dados oficiais serão divulgados permanentemente ”, disse o prefeito Fernando Galvão. 

Preocupados com os casos suspeitos do Coronavírus, e com os que ainda podem vir a ser registrados e até confirmados, os vereadores de Bebedouro pediram com urgência ao prefeito Fernando Galvão para que reative os seis leitos de semi-uti, que funcionaram até o ano passado, no Hospital Municipal Júlia Pinto Caldeira, e foram desativados em sua gestão. A medida, conforme consta no ofício encabeçado pelos vereadores Fernando Piffer (PSDB) e Chanel (Solidariedade), e que recebeu a assinatura de todos os vereadores, viabilizará um melhor atendimento aos bebedourenses que eventualmente precisarem de atendimento relacionado, sobretudo, ao Coronavírus.

No documento, os vereadores enaltecem os profissionais da Saúde, que estariam em condições plenas para o atendimento no qual somente necessitando apenas que a Semi-uti seja reativada com os equipamentos já existentes. “A Secretaria de Saúde informa que segue orientações técnicas para a abertura de uma semi UTI ou UTI. Mas explica que o Hospital Municipal nunca contou com uma semi UTI e sim uma UCE, Unidade de Cuidados Especiais. Todas as UTIs ou semi UTIs serão abertas no Hospital Regional”.

A Secretaria em questão fez mais considerações sobre a estrutura. “As salas que estamos montando contarão com leitos hospitalares, respiradores e demais aparelhos, preparadas para receber pacientes com o Coronavírus. Caso necessário utilizaremos todas as salas no Hospital Municipal para atender pacientes com Coronavírus. E caso haja necessidade utilizaremos o Ambulatório de Referência de Especialidades (ARE). A UPA também está preparada com leitos”, concluiu a Secretaria.

De acordo com a gerente de enfermagem, Angela Brozinga até o momento a UPA conta com sete respiradores que podem ser usados em pacientes com Coronavírus. Sendo que o Hospital Municipal receberá na próxima semana 14 respiradores.

O Hospital Municipal conta com 14 leitos para atender pacientes com Coronavírus.

Segundo o vereador Piffer na sessão de segunda-feira (23) na Câmara. Ele conseguiu emenda com o deputado federal Duarte Nogueira para a vinda de equipamentos. Ainda falou da necessidade de a Semi Intensiva ser reaberta no mesmo espaço físico, que funcionava com seis leitos. Entramos em contato com a assessoria do vereador para obtermos respostas e não tivemos retorno. 

A Folha da Cidade também entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde para saber o andamento da obra do Hospital Regional, e se a estrutura do mesmo no momento comportaria pacientes com suspeita ou confirmação de Coronavírus, no caso de existir a possibilidade de alguma adaptação, e não tivemos respostas. A Leal Núcleo Médico Veterinário, realizou a doação para Bebedouro e região, de um respirador mecânico. Procuramos a empresa, e a mesma não retornou. Todas as fontes que não atenderam a nossa reportagem estiveram cientes dos nossos pedidos. 

A Unimed também atendeu a nossa reportagem. “A Unimed Bebedouro, detentora de dois hospitais em nossa cidade, possui estrutura hospitalar para receber os pacientes com possibilidade de serem portadores da Covid-19, em local especificamente preparado para triagem e atendimento dos pacientes com Síndromes Gripais. Uma equipe de médicos seletivamente montada e treinada para esses atendimentos, fará a devida avaliação e orientação de tratamento, que pode ser domiciliar, ambulatorial ou em regime de internação”.

A Unimed enfatizou contar com leitos de isolamento para pacientes não graves, Unidade de Terapia Semi-Intensiva convertida especificamente em Unidade de Tratamento de Covid-19 com estrutura equivalente à UTI e Unidade de Terapia Intensiva para pacientes de maior gravidade com ventiladores mecânicos em quantidade suficiente à sua capacidade. “Também foram suspensas todas cirurgias eletivas, por fazer parte de nosso plano de contingência ao Coronavírus, utilizarmos nosso Centro Cirúrgico se necessário for, como unidade de internação para pacientes graves com Covid-19, por ser unidade hospitalar que dispõe de ventiladores mecânicos. Porém, ainda temos a possibilidade de nos adequarmos aumentando o número de leitos conforme a necessidade de demanda, que entendamos atender o número de beneficiários que temos em nossa área de ação”.

Por meio do mecanismo de Intercâmbio que existe entre todas as singulares do Sistema Unimed no país, existe a possibilidade de a Unimed encaminhar algum paciente, caso houver necessidade em ser referenciado, a alguma unidade de maior porte ou complexidade, desde que o hospital pertença ou seja credenciado ao Sistema Unimed. “Enfim, procuramos nos adequar dentro da nossa realidade, à revolução que essa Pandemia está causando em nosso país e no mundo. Importante informar também, que o Pronto Atendimento em Pediatria e Maternidade com médicos 24 horas, prestam suporte e atendimento às crianças e gestantes. Frisamos ainda, com grande importância, que temos equipe de Plantão em Teleatendimento através do 0800-778-0022 ou 17-3344-0022 das 09h às 17h de segunda a sexta-feira, onde nossos beneficiários serão atendidos por médicos cooperados que orientarão os pacientes sobre condutas adequadas a cada demanda, além estarem a disposição para realização de receitas médicas para medicamentos de uso crônico”.

A Unimed ressaltou que é exigida pelo Ministério da Saúde a fornecer todas informações sobre os casos positivos ou não à VE (Vigilância Epidemiológica) do Município. “Portanto quem deve e pode fornecer oficialmente essas informações à imprensa, é a VE que é o órgão oficial do Ministério da Saúde em nossa cidade. Isso tudo é para que, nesses tempos de guerra contra essa Pandemia, nossos beneficiários não fiquem desassistidos pelas medidas obrigatoriamente tomadas por ordem do poder público federal, estadual, municipal, ANS e pelo nosso bom senso. Somos solidários à totalidade das pessoas de nossa comunidade e procuraremos sempre fazer o nosso melhor para o bem comum.

O comandante da Guarda Civil Municipal de Bebedouro, Luiz André Rosa Junior citou algumas providências que poderão ser adotadas em casos de descumprimento das determinações governamentais na esfera penal. Sendo que as ações de postura do município estão baseadas no Decreto Municipal, no qual podem ir desde multa até o fechamento definitivo do estabelecimento.

O comandante enfatizou ser necessário seguir as determinações para evitar problemas. E citou as consequências em caso de algum descumprimento. “Quem causa epidemia pode pegar de 10 a 15 anos de cadeia, e se resultar morte, pena em dobro, conforme artigo 267 do Código Penal. Quem infringe determinação do poder público destinada a impedir doença contagiosa pode pegar de 1 mês a 1 ano de cadeia, segundo artigo 268 do Código Penal. Quem falsifica, adultera ou tenta vender produto medicinal falso pode pegar de 10 a 15 anos de cadeia, artigo 273 do Código Penal. O Estado de Emergência Mundial foi declarado pela OMS no dia 30/1. Se alguém contagiado não quiser se submeter a isolamento médico ou quarentena pode ser preso, e assim, ser isolado/quarentenado compulsoriamente, de acordo com a Portaria Federal n?356, de 11/3”, explicou André.

O Gabinete de Gestão Integrada, através da Defesa Civil de Bebedouro e Guarda Civil Municipal solicitam que a população utilize o disk denúncia 153, para denúncias sobre estabelecimentos comerciais que estejam desrespeitando o decreto municipal 14.052 de 20 de março de 2020, assinado pelo prefeito Fernando Galvão, em relação às medidas de prevenção ao novo Coronavírus.

Segundo o coordenador da Defesa Civil de Bebedouro, Luiz Antônio Luciano da Silva, o disk denúncia está recebendo muitos trotes, atrasando os serviços desses profissionais. Fato repudiado pelo comandante, que ainda orientou não fazer denúncias via rede social, sendo necessário fazer o procedimento através do disk denúncia 153. “Grande parte dos comerciantes estão acatando todas as medidas necessárias, pois, compreenderam a importância de evitar a proliferação do vírus. No entanto, essas fake news prejudicam todos”, afirmou o coordenador Luciano.

Ricardo Augusto Lainetti Figueredo, presidente do Sin Comerciários (Sindicato dos Empregados no Comércio de Bebedouro), e Manoel Vasco, presidente do SinComércio (Sindicato do Comércio Varejista de Bebedouro) falaram a nossa reportagem do acordo coletivo de trabalho, que tem como finalidade beneficiar a classes representadas em questão.

A medida foi tomada em razão do Covid-19, Coronavírus. E tem como objetivo minimizar os impactos financeiros a todos os envolvidos. Em resumo as regras abrangem férias coletivas ou individuais imediatamente e concedê-las com pagamento antecipado previsto em Lei. As férias coletivas podem ser concedidas a todos empregados ou apenas a alguns setores ou filiais. E o acordo ainda estabelece que fica limitada a presente concessão/benefício ao prazo de vigência do acordo, que no momento vai até 20/04/2020. “O objetivo desse acordo é dar segurança para as nossas empresas, a qual nós do Sindicato representamos e também aos nossos colaboradores. Não podemos se desesperar”, disse Manoel Vasco, que reconheceu o momento conturbado. 

O acordo ainda abrange a Compensação e o Banco de Horas, na qual observa-se a manifestação de vontade por escrito, por parte do empregado, assistido o menor pelo seu representante legal, em instrumento individual ou plúrimo a ser entregue a entidade sindical de o do prazo de 20 dias; no qual sem prejuízo da remuneração mensal do trabalhador, o mesmo poderá ficar ausente do labor por um período pré-estipulado pela empresa de forma escrita.

As horas ausentes previamente estipuladas e não trabalhadas poderão ser compensadas, limitadas a duas horas por dia, compensação se dará dentro de um ano, contados a partir término da Epidemia COVID-19, anunciado das autoridades municipais alertando ou decretando seu término. Decorrido o prazo de um ano sem a devida compensação, estas horas não poderão mais ser compensadas e nem descontada dos trabalhadores.

Para o controle das horas não trabalhadas e respectivas compensações, ficam os empregadores obrigados a fazer constar do recibo de pagamento, Holerite ou outro documento que comprova o pagamento dos salários o montante das horas não laboradas no mês, e o saldo eventualmente existente para compensação;

A ausência de acordo individual ou plúrimo, o descumprimento habitual do limite diário de horas suplementares trabalhadas, a falta de anotação no recibo de pagamento previstos respectivamente, ou outro descumprimento fica nulo o presente acordo. Fica acordado que as compensações previstas neste acordo não se aplicam a Domingos e Feriados elou em dias já de direito de descanso do trabalhador, como por exemplo DSR (Descanso Semanal). 

Para qualquer modalidade de registro de ponto, seja ele manual ou eletrônico, as empresas se obrigam a fornecer material de higienização e segurança para tal finalidade, no local em que são executadas. Havendo outras necessidades por parte das empresas e funcionários ou mesmo em virtude de nova legislação ou Medidas Provisórias, as entidades sindicais poderão fazer acordos individuais ou coletivos para atender as necessidades de novas regras e solicitações. As empresas pactuantes do ACT (Acordo Coletivo de Trabalho) se comprometem expressamente a implantar todos os programas previstos em lei que visam a prevenção e proteção do meio ambiente de trabalho, e ainda saúde e bem-estar físico, emocional e psicológico de seus empregados, bem como a cumprir todas as determinações legais e do Ministério do Trabalho e Emprego, hoje vigentes e que vierem a viger ao tempo de vigor desse Acordo Coletivo de Trabalho. “Por mais que tenha um decreto do presidente da República, que regulas essas questões trabalhistas entre empregado e empresa. Vamos que na Justiça do Trabalho, não é bem assim. Os acordos entre empresa e trabalhador direto entendem que não é acordo, mas uma imposição da empresa. Então não tem uma segurança jurídica. Para trazer uma segurança jurídica seriam os acordos feitos entre empresa e Sindicato ou Sindicato Patronal com o Sindicato dos Empregados. Dessa forma a empresa consegue ter segurança jurídica lá na frente. Regulamos através desse acordo entre o Sindicato Patronal e o dos Empregados, três situações que as empresas poderiam utilizar. Temos a concessão de férias coletivas e individuais, já de imediato. Banco e compensação de hora. Tem empresas que necessitam de outro tipo de situação. Sindicato dos Empregados está aberto para as empresas nos procurarem, e fazemos alguns acordos que atendem as necessidades de cada um. Do mais como regra geral regulamos essas situações através desse acordo. A questão do home-office. Tudo regulado nesse acordo coletivo que abrange todos. Depois as peculiaridades de cada empresa estariam procurando o Sindicato para estarmos regulamentando”, observou Ricardo.

FCTV Web