Por iniciativa da vereadora Ivanete Xavier (PSDB), aprovado na segunda-feira (28), requerimento que agenda para a próxima quarta-feira (7), às 20h na Câmara, audiência pública discutir a respeito da Mensagem ao Projeto de Lei Complementar 08/2021, que cria a Taxa de Serviços de Coleta, Remoção e Destinação de Lixo ou Resíduos Domiciliares. 

Ainda será definido se o evento poderá contar com limite de público, conforme determinação da Organização Mundial de Saúde, ou virtual, caso haja Portaria da Câmara autorizando. A taxa do lixo é paga no IPTU. No IPTU é taxa de limpeza pública para vias, logradouros, praças e afins. O que será cobrado com essa Lei Federal que tramita no Legislativo até o presente momento é a taxa de coleta, transporte e destinação final de resíduos sólidos. Leia mais na Folha da Cidade

O vereador Chanel (Solidariedade) afirmou que ao extrair documentos da prestação de contas da OS Associação Mahatma Gandhi, que administra o Pronto Socorro e Gripário do Hospital Municipal Julia Pinto Caldeira, o Município está pagando oxigênio para ela, que fica em Catanduva. 

Segundo o vereador, as notas e os comprovantes dos pagamentos e da entrega desse oxigênio, demonstram que a entrega foi feita diretamente no Hospital de Catanduva, no qual está localizada essa Associação. Ainda enfatizou que parte da conta de água e energia elétrica desse Hospital de Catanduva, também está sendo paga com dinheiro de Bebedouro. E que está havendo pagamento de Rateio, o que é proibido por legislação, de acordo com Chanel, que assim como a população, aguarda a apuração da situação pela comissão da CPI, no qual a mesma já tem acesso aos documentos.

Além do vereador, a Folha da Cidade procurou o Município através da Secretaria de Saúde, e a OS, que por meio de suas respectivas Assessorias de Imprensa deram as suas versões. Leia mais na Folha da Cidade

Até o momento, Município, DRS V de Barretos e Estado não respondem a nossa reportagem questões pertinentes em relação a vacina contra a Covid-19. O que de fato causa confusão na população, principalmente em gente de origem carente, que as vezes não tem acesso as redes sociais. 

Entre as perguntas feitas pela Folha da Cidade estão valor destinado até o momento para a DRS V de Barretos; Valor investido apenas em Bebedouro; Frequência que o estado destina semanalmente as doses para DRS; Funcionamento da distribuição para a chegada das doses em Bebedouro; Quantos dias antes da vacinação chegam as doses para DRS e Bebedouro; Até o momento. a quantidade total de doses (primeira e segunda) e laboratório, que cada grupo/faixa etária tomou, e vai tomar, entre outras. Leia mais na Folha da Cidade

Akiyochi Marcos Umeda, cirurgião dentista, especialista em Saúde da Família, Saúde Coletiva, e Preceptoria. Onde atua no Hospital Municipal Julia Pinto Caldeira na coordenação bucal há quatro anos, sendo no SUS desde 2005. Ocasião em que falou a nossa reportagem sobre a saúde bucal em pacientes com Covid. 

Importância da rotina diária da higiene bucal e dos cuidados serem redobrados em pacientes com Covid, principalmente os casos mais graves. “A higiene oral é importante diariamente. Escovação, fio dental e os enxaguatórios bucais. Na Covid como em toda doença tem que ser melhorada, principalmente na Covid, onde os cuidados tem que ser redobrados. O paciente está passando estresse, além da infecção”, observou Akiyochi.

Geralmente como que fica a saúde bucal desses pacientes, e o funcionamento do tratamento, independente do caso. “No tratamento no período quando está com Covid é suspenso. Exceto se tiver uma urgência ou emergência, aí é realizado todo o procedimento, e os cirurgiões dentistas usam todos os EPIs, e barreiras. É muito seguro o tratamento. É feito normalmente. Os tratamentos seletivos são sempre postergados para depois da fase de isolamento assim que estiver saudável. E passou a fase de infecção e contaminação. Se tiver necessidade no período em que está com Covid, o tratamento é feito com todas as precauções e cuidados necessários. A biossegurança utilizada”. Leia mais na Folha da Cidade

A Lei Federal 14.026/20, que é o Novo Marco Regulatório do Saneamento, obriga os municípios a implantarem até o próximo mês de julho. Em Bebedouro, a Lei tramita na Câmara, e tem previsão de ser votada na sessão da próxima segunda-feira (28).

Caso a taxa seja aprovada será cobrada a partir do ano que vem. A taxa do lixo é paga no IPTU. No IPTU é taxa de limpeza pública para vias, logradouros, praças e afins. O que será cobrado com essa Lei Federal que tramita no momento é a taxa de coleta, transporte e destinação final de resíduos sólidos, sendo que seria inconstitucional uma bitributação.

Segundo o prefeito Lucas Seren, a taxa será em média entre R$ 30,00 e R$ 40,00 em localidades consideradas privilegiadas. E em outros bairros entre R$ 16,00 e R$ 17,00. Leia mais na Folha da Cidade

A Câmara de Franca reconheceu os recém-completados 30 anos de trabalho do deputado estadual Roberto Engler (PSB) como representante da cidade e da região na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Moção de aplausos proposta pelo vereador Daniel Bassi (PSDB) foi entregue ao parlamentar na segunda-feira (21).

Bassi e os vereadores Donizete da Farmácia (MDB) Lindsay Cardoso (Cidadania), Lurdinha Granzotte (PSL) e Ronaldo Carvalho (Cidadania) foram os portadores da placa que simboliza a moção. “É um gesto que emociona. Agradeço demais ao amigo Daniel Bassi, pela carinhosa iniciativa, e aos demais vereadores, que a aprovaram de forma unânime. Esse tipo de ação serve como incentivo pra gente continuar batalhando pelos interesse da nossa cidade. Datas marcantes como essa, ainda mais com o registro que a moção aprovada significa, acabam provocando uma reflexão e a gente se lembra de tanta coisa que já aconteceu. Boas conquistas alcançadas, outras em que a gente não teve o sucesso que queria. Mas o fato é que a gente vem construindo há muito tempo uma história bonita de trabalho”, disse Engler.

Em março último, o parlamentar completou 30 anos consecutivos de mandato na Assembleia Legislativa. Ao longo dessas três décadas, teve participação em diversas grandes realizações promovidas pelo Governo do Estado de São Paulo em toda a região. “A figura do deputado Roberto Engler é motivo de admiração e respeito. Fiz parte da sua equipe por quase quatro anos e sei a forma correta com que ele atua. Acredito que esse reconhecimento era mais do que necessário e fico feliz de ter sido o autor da moção aprovada por todos os colegas”, afirmou Bassi.

Em Bebedouro, a atuação de Roberto Engler se iniciou há 15 anos. A história com a cidade é especial e a lista de avanços obtidos por seu intermédio bastante extensa. Entre eles, a construção do prédio da Etec (Escola Técnica).

A criação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar e apurar responsabilidades pelos constantes problemas relatados na área de Saúde da Prefeitura de Bebedouro, em especial sobre valores disponibilizados e gastos com a COVID-19, Hospital Municipal, UPA, leitos de UTI e plano de vacinação foi conhecida após sorteio na sessão de segunda-feira (14).

Após sorteio da comissão e reunião entre os vereadores após sessão suspensa. Ficou definido Eliana Merchan (DEM) como presidente; Vagner Souza (PSB) relator; e Edgar Cheli (PSDB) membro. O prazo legal é de 90 dias. Podendo haver prorrogação pelo mesmo prazo, no qual pode indicar, requisitar e convocar testemunhas, solicitar documentos, além das ações previstas no Regimento Interno da Câmara, que pode ser conferido na íntegra pelo site da Câmara. 

A criação dessa CPI consiste em apurar e investigar as responsabilidades relacionadas a saúde pública, por parte do Município e Associação Mahatma Gandhi, que fazem respectivamente a gestão do Hospital Municipal Julia Pinto Caldeira e UPA. Leia mais na Folha da Cidade

Aglomerações com grandes filas fizeram parte do cenário da vacinação na Antiga Feccib contra a Covid-19 nessa semana. Falta de uma ampla comunicação e com antecedência sobre doses, laboratório e idade gerou insatisfação em vários munícipes.

Segundo parte da população, a Prefeitura divulgar apenas em seus perfis nas redes sociais e na Rádio Bebedouro está sendo insuficiente para alguns munícipes se organizarem, principalmente os de origem mais carente. Há quem sugere que no mínimo dois carros de som ajudariam a melhorar a divulgação, e com isso aumentar a probabilidade de mais pessoas serem imunizadas.  

A secretária de Saúde, Silvéria Larêdo disse que o município evita divulgar o laboratório, por ter gente querendo escolher laboratório. E que erro da população é chegar às 4h sem necessidade. Leia mais na Folha da Cidade

Há não ser que ocorra alguma mudança, as regras decretadas em 28 de maio permanecem após o município prorrogar a “fase de transição" do Plano São Paulo no âmbito da cidade na segunda-feira (14), por meio de decreto até 30 de junho.

Embora o município alegue que as filas em unidades de Saúde diminuíram assim como o atendimento na UPA em virtude da medida tomada em maio, o mesmo reconhece que ocupação dos leitos ainda é uma preocupação, no qual os hospitais encontram-se na capacidade máxima na questão das internações. Para saber o que pode e não pode, a íntegra do decreto pode ser conferida no site da Prefeitura.

Assim como parte da população, o vereador Chanel (SD) desconfia da diminuição dos atendimentos na rede pública pós-lockdown, sendo que que a procura é grande na rede particular. Leia mais na Folha da Cidade

Sentença de procedência parcial para condenar o município a reservar 1/3 da jornada de trabalho dos professores da Educação Infantil I, Educação Infantil II, Ensino Fundamental I e Educação Especial para atividades extraclasse foi promovida pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo no último dia 9, por meio juiz Luiz Fernando Silva Oliveira, Comarca de Bebedouro. 

O requerente da ação civil foi a Apeoesp, que é o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo, e o requerido a Prefeitura. Antonio Gandini Junior, diretor Regional da Apeoesp, no qual tem sub-sede em Bebedouro falou da situação a nossa reportagem. Ele explicou que o Sindicato fez um movimento com os vereadores. “No sentido de explicar para eles qual é a nossa fundamentação. E notoriamente na semana seguinte saiu o julgamento em 9 de junho do Tribunal de Justiça de São Paulo, onde o Tribunal reconhece o cálculo da hora aula de 50 minutos, conforme a Apeoesp e também o prefeito assinou um Termo de Compromisso com os professores, se comprometendo a aplicar o cálculo de 20 minutos. Muito importante o professor entender que é direito dele a aula de 50 minutos, e que em jornada de 30 horas aulas, ele passa a cumprir 20 com alunos e 10 de formação, HTPC (horário de trabalho pedagógico coletivo)”, diz Gandini. Leia mais na Folha da Cidade 

FCTV Web

Clima Bebedouro
Block [footer] not found!