Médico orienta sobre prevenção ocular - na íntegra

Dentre as campanhas de Saúde, o presente mês conta com Abril Marrom, que alerta para a prevenção de doenças que causam cegueira. A Folha da Cidade conversou com o oftalmologista André Parolin.

O médico reconheceu a importância de a mídia e sociedade difundir a Campanha, visto que a maioria das pessoas procuram a ajuda profissional quando apresenta uma dificuldade na visão, sendo tarde em muitos casos devido a falta de prevenção. “Importante em todos os aspectos da medicina ter um diagnóstico preciso, e um tratamento adequado. No caso da Oftalmologia não é diferente. Deve fazer regularmente visitas ao oftalmologista pelo menos uma vez ao ano. Tem doenças que são silenciosas e assintomáticas assim como um glaucoma crônico, que pode levar a pessoa a cegueira. É isso só é diagnosticado na consulta ao oftalmologista. É completamente evitável se for feito um tratamento correto. Exames não impedem que a pessoa tenham uma doença, mas impedem que uma doença progrida e venha trazer problemas limitantes para a pessoa no futuro”. 

Em relação as falsas notícias, ele deixou um alerta. “Hoje com o advento da Internet e das redes sociais apareceram muitos tratamentos milagrosos. As pessoas tem que ser certificarem bem primeiro, e ver de onde vem a fonte porque recebemos notícia no Instagram, Facebook ou WhatsApp, e o ser humano, principalmente o brasileiro, que é uma pessoa de bom coração tem por principio acreditar nas pessoas. Até que se prove o contrário, aquilo que recebe é verdade. Precisa realmente checar essas informações. Tratamentos milagrosos não existem. Tem muitas pessoas vendendo coisas milagrosas pela internet. Enganando e tirando recursos de algumas pessoas, que estão desesperadas por um tratamento. Não tem base científica. Se existisse milagre ninguém morreria”. 

Referente a pessoa recém nascida. “Quando a pessoa nasce passa pelo Teste do Olhinho realizado pelo pediatra em conjunto com o oftalmologista para ver se tem más formações congênitas, assim como tumores. Tem um tumor que chama retinoblastoma que deixa o reflexo de um dos olhos branco. Ou até mesmo uma catarata congênita. São inspeções realizadas de rotina, e se tornaram lei no país. Na primeira infância tem que tomar cuidado em fazer os exames de grau das crianças para ver onde pode aparecer um vício de refração que pode hipermetropia, astigmatismo, e até miopia. A miopia aparece por volta de 10 anos. Importante também avaliarmos estrabismo, que é o famoso olho torto. Tem dois tipos de estrabismo. Um que corrige com cirurgia, e um que corrige simplesmente usando óculos. É o que aparece entre 3 e 4 anos, que é chamado estrabismo acomodativo, onde um simples uso de óculos resolve o problema dessa criança. Importante acompanhar em todas as idades”. 

A miopia é uma doença muito limitante, e tem uma projeção daqui alguns anos, 40% da população mundial ser míope, segundo ressaltou o médico. “Isso com advento dos smartphones e tabletes. O pessoal está lendo e forçando muito. Uma dica é sempre ler a pelo menos dois palmos do seu rosto. Entre 10 e 15 anos pode aparecer o ceratocone, e se não tratar e tiver prevenção pode até levar a um transplante de córnea, no qual sou especialista e fiz mais de 500 transplantes registrados na Central de Transplante do Brasil. Pegamos muitos casos. Existe o tratamento, mas realmente o melhor é a prevenção. A ideia é não chegar no transplante de córnea”. 

Quando chega na vida adulta. “Sempre acompanhando os vícios de refração que é miopia, astigmatismo e hipermetropia tem paralelamente ao exame oftalmológico, o exame do fundo do olho, e o exame da medida da pressão do olho, e os demais exames que são mais sofisticados. A partir dos 40 anos começa a dificuldade para ler, que o pessoal chama de vista cansada, é a presbiopia. Dificuldade em ler de perto, um livro e um celular. Não é para ler na televisão. Para ler na televisão é outro tipo de problema. É também começa o glaucoma, que tem componente hereditário. Mas não significa que necessariamente vai ter alguém na família. Uma pessoa com parente com glaucoma tem mais chance de ter. Tem que medir a pressão do olho todos os anos, além de outros exames. Isso é preventivo. Glaucoma é doença silenciosa. As vezes a pessoa passa anos sem sentir, e quando procura o médico já tem grande perda de visão que não consegue recuperar. E isso poderia ser evitado com simples uso do colírio”.

No que tange aos idosos. “A partir dos 60 anos aparecem como catarata. Hoje tem cirurgia muito avançada para fazer esse diagnóstico e tratamento. Cirurgia que hoje tem resultado excelente. Aparelhos que em Bebedouro apresentam medidas eficazes e precisas. Muitas pessoas conseguem ficar depois da cirurgia sem óculos tanto para longe quanto para perto. Acima dos 65 anos temos que acompanhar quem tem problema no fundo do olho chamada degeneração macular relacionada a idade. O exame oftalmológico é importante em todas as faixas etárias. A pessoa com diabete precisa estar fazendo uma prevenção no fundo do olho”. 

FCTV Web

Clima Bebedouro