Por que Dia de Todos os Santos?

Publicado primeiramente na Edição de 23/10/2010

 No calendário litúrgico universal da Igreja Católica Apostólica Romana, vamos encontrar, em todos os dias do ano civil, a comemoração de um santo ou santa.
 Como, graças a Deus, existem muito mais santos a serem lembrados nos trezentos e sessenta e cinco dias do ano, a Igreja achou por bem concentrar, no Dia 1º de Novembro, a Festa de Todos os Santos – conhecidos e desconhecidos, antigos e atuais, canonizados e não canonizados. Assim, todos serão lembrados e homenageados pelos católicos de todo o mundo.
 Partindo da revelação do próprio Cristo, nas Sagradas Escrituras e no Magistério de sua Igreja à qual foi confiada a revelação divina e os instrumentos necessários à nossa santificação e salvação, vamos definir o que entendemos por: SANTO, sua intercessão, devoção e culto.
 Você, por certo, conhece a expressão de Cristo: “Sede perfeitos ou santos como é perfeito e santo o Pai do céu!”. A intenção de Jesus, ao proferir esta frase, é nos induzir a nos aproximar o máximo possível da perfeição do Pai, ou, em outras palavras,a sermos santos, seguindo os ensinamentos do Mestre. Embora nunca cheguemos à perfeição do Pai, pois seríamos deuses, Cristo nos estimula a lutar, apesar das nossas limitações e fraquezas, usando nossa capacidade pessoal, sempre contando com sua graça.
Concluindo: santo é aquela pessoa normal que durante sua vida terrena procurou corresponder à graça de Deus, renunciando ao pecado e aderindo totalmente às virtudes cristãs. Como o céu começa aqui na terra e se perpetua depois da morte, o santo, na eternidade, está junto de Deus. Ora, se está junto de Deus para sempre, por que não interceder por nós que ainda estamos aqui, lutando diaadia para também chegarmos lá?
 Sabemos que perfeito só é Deus! E SÓ A ELE DEVEMOS ADORAR no sentido real da palavra. Portanto, devoção e culto aos santos não devem nunca ser entendidos como adoração. Esse gesto é apenas uma consideração muito especial dos cristãos, que se espelham no testemunho dos santos, nossos irmãos. Se eles, vivendo como seres humanos como nós, conseguiram ser santos, por que nós também não podemos?
 Didaticamente, (depois de sua morte física) eles são divididos em canonizados e não canonizados. O que significa isso?
 No Vaticano existe um livro, desde a Igreja primitiva até hoje, que se denomina Canon. Nesse livro são inscritos aqueles santos que não só morreram santamente, mas que nos deixaram um legado de uma vida santa e merecem ser ponto de referência e modelo de virtudes para todos nós, que ainda nos encontramos nesta caminhada terrena. Sua vida é pesquisada nos mínimos detalhes e colocada à prova. Só depois de se constatar pelo menos três milagres acontecidos através de sua intercessão, comprovadamente, o Papa os declara santos a todos os católicos do mundo e seus nomes e vida são inscritos no Livro do Canon, e daí chamados santos canonizados.
 Desde o nosso batismo, somos vocacionados por Deus para sermossantos. Para tanto, Ele nos propicia tudo o que é necessário para nos santificar. Basta nosso sim coerente e consequente.
Unamo-nos em oração, pedindo a intercessão de todos os santos, para que um dia possamos, com eles, adorar e glorificar nosso Deus por toda a eternidade.


Cônego Pedro Paulo Scannavino
Paróquia São João Batista

FCTV Web

Clima Bebedouro
Block [footer] not found!