Como Deus nos chama para a missão

Embora não seja a única maneira que Deus utiliza para comunicar-se conosco, pois, se assim fosse, estaríamos limitando a ação de Deus, ela é muito importante e deve ser considerada por nós com muito respeito, atenção e fé.

No Evangelho de São Mateus 28,19-20, Jesus, ao despedir-se dos discípulos na volta para junto do Pai, nos deixou uma missão: “Ide fazer discípulos meus entre todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Ensina-lhes a observar tudo o que vos tenho ordenado. Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos”.

Analisemos as conclusões práticas para nossa vida:

1º) IDE – significa “saia” de seu comodismo e acomodação, de sua atitude de fazer o estritamente necessário para salvar as aparências. Cristo é bondoso, misericordioso, porém exige de seus discípulos renúncia de si mesmo, doação de si próprio, generosidade em servir.

2º) FAZER DISCÍPULOS MEUS – não basta anunciar, divulgar o nome de Jesus Cristo. É necessário “fazer discípulos dEle”.

 

Como fazê-lo?

I – ESCUTAR o que nos diz Jesus, o que nos diz o próximo, o que nos diz o nosso coração.

Para tanto, é preciso:

a) ESTAR ATENTO à situação da realidade que nos envolve: família, grupo, comunidade.

b) EM QUE POSSO SERVIR, sem paternalismo, sem parcialidade, sem conveniência ou imposição?

c) RESISTIR e PERSEVERAR em vista do objetivo que tenho, com a convicção de atingir.

d) TER PACIÊNCIA de esperar a hora de Deus, que não é a nossa hora. Deus não tarda e nem falta. Ele se manifesta no momento exato.

 

II - SER COERENTE – a credibilidade do cristão apoia-se no seu testemunho de vida até as últimas consequências: palavras traduzias em obras.

III – DIALOGAR com Deus (oração de escuta – silêncio); com o próximo (não se trata e monólogo egoísta); conosco mesmo (sinceridade, humildade, confiança na graça).

 

3º) ENSINA-LHES a observar “tudo” o que tem ordenado. Jesus disse “tudo” e não só aquilo que é fácil, conveniente, menos urgente.

4º) EIS QUE ESTOU CONVOSCO TODOS OS DIAS até o fim dos tempos. Esse arremate de Jesus é justamente para nos estimular a ser fiéis e perseverantes, já que não estamos sozinhos e podemos contar com a presença do Cristo nos momentos alegres e tristes, nas vitórias e derrotas.

 

Concluindo: Digamos sempre em nossas orações, como disse São Francisco de Assis: “Senhor, que quereis que eu faça?”.

 

 

Cônego Pedro Paulo Scannavino

Paróquia São João Batista

 

FCTV Web

Clima Bebedouro