Tribunal analisa contas da Câmara de Bebedouro

Quantidade de comissionados, grau de escolaridade e pagamento de gratificações na Câmara de Bebedouro não estão sendo bem vistas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo até o momento. 

O período em questão em que se cogita o pedido da rejeição e improbidade das contas refere-se ao biênio 2016/2017. “O Ministério Público de Contas insiste na reprovação. Desde 2013 esse Tribunal de Contas faz recomendações no sentido de que a Câmara Municipal de Bebedouro corrija a distorção na composição do quadro de pessoal porque existe um excesso de servidores ocupando cargos comissionados exercendo funções rotineiras. Nem de longe são funções de direção, chefia ou de assessoramento. E com um grau de escolaridade incompatível com essas relevantes atribuições definidas pela Constituição. Desde 2013 estamos fazendo isso. Fizemos em 2014 e 2015”, considerou o relator José Mendes Neto, na sessão ordinária do último dia 27. Leia mais na Folha da Cidade

FCTV Web