Resenhas

(Um Monge Solitário)

 

Por caminhos tortuosos escrevi,

em horas tardias das noites serenadas.

Nos prados á noite negra não vi nada,

nem sequer o cantar do bem-te-vi!

 

Nas vargas alagadiças as saracuras,

faziam suas festas repletas de grande encanto.

E de tudo eu juro pelo que é o mais santo,

os pirilampos são lindas figuras!

 

Sorrí branda a florzinha noitezina,

espalhando seu perfume aos nosso olfateares.

Enfim as procelas que vem de altos mares,

sucumbe a pequena flor menina!

 

A ondinha zomba do gênio do oceano,

se enchem as veigas e com elas meu caramunhar.

Ao nome de Deus compõe as estrelas a brilhar,

e meus versos ficam em outros planos!

 

 

 

“Enquanto o cigarro mata,

a cigarra, triste canta”.

 

Diác. Antonio Antognoli Sobrinho

FCTV Web